Home » Cases » Síndrome “Mão-Pé-Boca”: pediatra explica formas de contágio e tratamento

Síndrome “Mão-Pé-Boca”: pediatra explica formas de contágio e tratamento

Lesões dolorosas nas mãos, pés e boca podem ser característica da síndrome que tem atingido inúmeras crianças nessa época do ano. A doença, conhecida como síndrome “Mão-Pé-Boca”, é causada por um enterovírus. A manifestação ocorre principalmente nos menores de cinco anos, pois no ambiente escolar e o convívio com outras crianças facilitam o contágio, que normalmente acontece por secreções infectadas e objetos de uso pessoal contaminados.

A pediatra Alinne Barros, do Hapvida, explica que, como em outras viroses, o problema aparece inicialmente como um resfriado. “Começa com tosse, espirro, febre (que pode variar entre 38 e 39 graus) e falta de apetite. Aproximadamente 48 horas depois começam a surgir lesões nas mãos, pés e boca. Essas lesões aparecem também na faringe e amígdalas, alguns bebês têm aftas”, esclarece.

A especialista ressalta que nas mãos e pés as lesões são vesículas, ou seja, pequenas bolhas que podem ficar cheias de pus. Além disso, são dolorosas e podem coçar e incomodar as crianças. Por ter uma transmissão fácil, o recomendado é que as pessoas infectadas fiquem em casa por sete dias para evitar o contágio. O tratamento é realizado da mesma forma que o de qualquer outra virose, já que a doença tem um ciclo autolimitado.