Home » Cases » Prevenção ainda é o melhor método para evitar a dengue

Prevenção ainda é o melhor método para evitar a dengue

Dengue

Nesta época do ano, em que as temperaturas aumentam, deixar água parada é ainda mais perigoso. O ambiente torna-se propício para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão da dengue que, apesar dos alertas, ainda é uma das doenças mais comuns no país.
De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba, o número de casos suspeitos de dengue no estado cresceu 119,35% de janeiro a março de 2015, em comparação com o mesmo período de 2014. Ao todo, foram registrados 2.448 casos suspeitos da doença, enquanto que no ano anterior houve a notificação foi de 1.116.
Esse aumento gera o alerta para a população e o incentivo à prevenção da doença, tendo em vista que os sintomas são desagradáveis e nas situações mais críticas pode causar a morte. De acordo com o clínico geral do Hospital Geral da Paraíba, Plínio Muniz, é preciso observar os sintomas, tendo em vista que eles podem ser confundidos com outras doenças. “É comum que o paciente sinta febre, dor de cabeça e dor retro-ocular, que são sintomas também encontrados em gripes, febre chikungunya, malária e febre amarela. Por isso, a principal recomendação é procurar tratamento médico imediatamente”, orienta.
A prevenção é o método mais eficaz para evitar a doença e a mudança no comportamento deve começar dentro de casa, com cuidados na higiene de espaços que possam acumular água. Entre as dicas e recomendações mais comuns e eficientes está limpeza de quintais e terrenos baldios, bem como cobrir tanques e caixas d’água.
O médico explica que as pessoas que já tiveram a doença precisam redobrar os cuidados, tendo em vista que na segunda vez a probabilidade de ter dengue hemorrágica aumenta. “Além dos sintomas comuns da dengue, pode haver hemorragia de mucosa, da gengiva, dor abdominal e menstruação mais prolongada”, explica. Segundo Plínio Muniz, o tratamento varia de acordo com o caso de cada paciente, mas a orientação geral é repouso, hidratação e analgesia.

Foto: Reprodução